Sermões de Ensino

Pregações expositivas, expondo as verdades das Escrituras versículo por versículo.

Sendo justo em um mundo injusto - Eclesiastes 3.16-22

Vanderson Moura da Silva

24.03.2019

A visão bíblica do trabalho - Eclesiastes 3.9-15

Vanderson Moura da Silva

10.03.2019

O cristão, um estrangeiro e peregrino neste mundo- Hebreus 11.13

Pr. Ábner Eliel Araújo

03.03.2019

O sofrimento visto pela perspectiva eterna - 1 Pedro 4.17-18

André Veloso

17.02.2019

Humildade, virtude tipicamente cristã - 1 Pedro 5.5

Vanderson Moura da Silva

10.02.2019

A igreja local e sua importância na vida do salvo - Hebreus 10.25

André Veloso

03.02.2019

Sem Deus o trabalho é vão - Eclesiastes 2.18-26

Vanderson Moura da Silva

20.01.2019

Sede pacientes, até a vinda do Senhor! Thiago 5.7

André Veloso

13.01.2019

A necessidade de estarmos alertas para a vinda do Senhor - 2 Pedro 3.1-2

André Veloso

06.01.2019

Sem Deus as riquezas e os prazeres são vãos - Eclesiastes 2

Vanderson Moura da Silva

30.12.2018

Natal e sua acepção bíblica - Lucas 1.26-56

Vanderson Moura da Silva

23.12.2018

O novo relacionamento para com os mandamentos de Deus - 1 João 2.3-5

André Veloso

16.12.2018

A sabedoria sem Deus é vã - Eclesiastes 1.12-18

Vanderson Moura da Silva

25.11.2018

As marcas de um verdadeiro cristão - 1 João 1.5-6

André Veloso

11.11.2018

A segurança do crente que confia no Senhor - Salmo 125

André Veloso

04.11.2018

Alerta contra falsos ensinos - 1 João 4.1-6

Vanderson Moura da Silva

28.10.2018

Evitando a preocupação à luz da providência divina - Salmo 127.1

André Veloso

21.10.2018

Duas causas de maior preocupação na vida são suprimento e proteção. Devemos evitar a preocupação à luz da provisão  de Deus, em sua providência somos supridos e protegidos. O salmista nos mostra que quando entendemos que Deus governa Soberano, temos o suprimento e a  proteção de suas mãos, a ansiedade e preocupação é uma atitude inútil e insustentável para o crente.

Jó desmente a teologia da prosperidade - Jó 21

Vanderson Moura da Silva

14.10.2018

Frutos que fluem da justificação pela fé – Romanos 5.1

André Veloso

07.10.2018

Paulo ensina como o poder do Evangelho, afastando o ódio entre as classes e fomentando o espírito de amor e os princípios da justiça, opera a verdadeira transformação das estruturas sociais.

O Cristianismo e a reforma social – Filemon

Vanderson Moura da Silva

30.09.2018

Paulo ensina como o poder do Evangelho, afastando o ódio entre as classes e fomentando o espírito de amor e os princípios da justiça, opera a verdadeira transformação das estruturas sociais.

A suprema excelência do amor – 1 Coríntios 13

Vanderson Moura da Silva

16.09.2018

O apóstolo Paulo nos mostra as razões porque o amor ágape deve ser ardorosa e diligentemente buscado, cultivado e evidenciado pelo povo de Deus no seio da comunidade cristã.

O dever de cultivar a humildade e a esperança na presença de Deus – Salmos 131.1-3

André Veloso

09.09.2018

Este salmo nos mostra o que impede de esperarmos em Deus e confiar Nele: o orgulho. Vemos neste curto Salmo como combater o orgulho, aquietar e sossegar a alma e confiar na providência de Deus com contentamento e esperança.

Fé versus incredulidade – Números 13 e 14

Vanderson Moura da Silva

02.09.2018

O prêmio da fé e o castigo da incredulidade, tal como vistos na fidelidade de Josué e Calebe e na rebelião dos israelitas, constituem encorajamento e alerta para nós hoje.

Julgando com o reto juízo – Mateus 7.1-6

Pr. Ábner Eliel Araújo

12.08.2018

A fé e as ansiedades – Mateus 6.21-34

Pr. Ábner Eliel Araújo

05.08.2018

A resposta para a ansiedade – Mateus 6.25-32

Pr. Ábner Eliel Araújo

29.07.2018

O Evangelho da Prosperidade - o Arauto de Mamom – Mateus 6.24

Pr. Ábner Eliel Araújo

22.07.2018

Deus ou Mamom? – Mateus 6.22-24

Pr. Ábner Eliel Araújo

15.07.2018

Vivendo para o Céu, vivendo para a eternidade– Mateus 6.19-21

Pr. Ábner Eliel Araújo

08.07.2018

Oração no combate diário contra o pecado e o mal – Mateus 6.13

Pr. Ábner Eliel Araújo

01.07.2018

Nosso arrependimento de cada dia – Mateus 6.12

Pr. Ábner Eliel Araújo

24.06.2018

Embora a graça de Deus continue a operar em nossas vidas, após a conversão, enquanto estivermos nesse corpo estamos debaixo do peso da tentação para o pecado. E o crente peca diariamente, por isso precisa confessar seus pecados regularmente. Quais são nossos pecados após a conversão, e quais são as ofensas que os outros cometem contra nós? De que maneira nosso perdão de Deus parece depender de nosso perdão estendido àqueles que pecam contra nós? E se não sentimos convicção de pecados como se arrepender diariamente? Estas e outras questões, bem como os remédios para a falta de convicção de pecados, são contempladas aqui nesta quinta petição da oração modelo do Senhor Jesus; a oração que nos ensina a orar e a viver a vida ressurreta.

Pão e contentamento no Reino de Deus – Mateus 6.11

Pr. Ábner Eliel Araújo

17.06.2018

O que significa incluir em nossas orações esta petição: “O pão nosso de cada dia nos dá hoje”? Acaso soa estranho, que no meio de sentimentos e petições espirituais tão elevadas, o Senhor Jesus faça uma mudança súbita na Sua oração modelo, passando da exaltação para as coisas comuns da vida temporal? Por que a petição por “pão” vem na frente da petição por perdão e por livramento? Vemos aqui o selo da divindade sobre Cristo, somente Ele poderia ensinar, dessa maneira tão sábia, como devemos orar e viver. Pedimos: “O pão nosso de cada dia nos dá hoje”, e Ele nos dá, para que fortalecidos, nossa energia e mente se voltem para “as coisas que são do alto”. Em resposta às nossas petições por provisões temporais legítimas, Ele se apraz em nos dá do “pão que perece”, para assim supridos termos confiança em pedir; e se pedirmos: Ele nos dará “o pão que permanece para a vida eterna.”

O destemor do crente quanto ao futuro - Habacuque 3.16-19

Vanderson Moura da Silva

27.05.2018

O profeta Habacuque nos ensina como devemos encarar o futuro, mesmo o futuro sombrio e incerto, e como devemos viver nossa vida presente diante da perspectiva de sua chegada.

O Espírito Santo nos ajuda em nossas fraquezas - Romanos 8.26-27

André Veloso

13.05.2018

Mediação sobre a ajuda fornecida pelo Espírito Santo em meio a perplexidade e tribulações; e seu auxílio em nossas vida de oração.

A outra Carta aos Efésios - Apocalipse 2.1-7

André Veloso

06.05.2018

As advertências bíblicas para igrejas de ortodoxia morta, o porquê de elas terem chegado a essa estado e a solução para que voltem​ a uma fé viva e vibrante.

A oração que nos ensina a orar – Mateus 6.9

Pr. Ábner Eliel Araújo

29.04.2018

O Senhor não ouve rezas, mas sim orações. É chocante perceber, e vergonhoso, que a própria oração que o Senhor deu como um antídoto contra as vãs repetições (vs.5-8) seja ela própria transformada em um veneno pelos homens. A chamada oração do “Pai nosso” apresentada pelo Salvador como um modelo contra as vãs repetições dos gentios é a mais abusada pelos homens em suas vãs repetições. Aprendemos aqui como nos aproximar de Deus com mente e coração desperto, para nos engajar no mais elevado de todos os exercícios da alma humana: a oração. Como entrar na presença de Deus em espírito e em verdade como ensina o Senhor; e mesmo em nossas primeiras palavras e sentimentos dirigidos a Ele, santificar e glorificar a Deus.

Como orar – Mateus 6.5-8

Pr. Ábner Eliel Araújo

22.04.2018

O Senhor toma sua segunda ilustração da piedade verdadeira, que é voltada para Deus, e apresenta agora o caso do crente em oração. O Senhor fala sobre: como orar, e o que orar. A forma e o conteúdo da oração. E porque a oração, pela própria natureza dela, requer sinceridade absoluta, pois estou em comunicação com o Deus que vê em secreto, requer absoluta submissão a vontade de Deus, e santa reverência; então o Senhor Jesus a toma como exemplo da verdadeira piedade que deve caracterizar um crente na sua vida religiosa.

Os cidadãos do reino de Deus, diz o Salvador, não devem tomar a oração, que é o exercício mais levado da alma, consciente e direto em se dirigir ao seu Criador, e transformar isso em um exercício vazio e mecânico, ou usar a oração pública, como uma plataforma para a auto projeção. O Senhor Jesus está aqui advertindo que quando colocamos até mesmo nossas conversas com o Deus Todo Poderoso a serviço de nossas agendas pessoais, da vanglória e auto projeção religiosa, nós entramos na escola da arte da corrupção espiritual. E as pessoas que permanecerem nessa escola, tornam suas consciências cauterizadas nas questões espirituais.

Mas há também outra lição importante aqui, nas palavras do Senhor, que vai para além da questão de não usar a oração como artifício, a saber: a da necessidade de orar em secreto; de buscar e encontrar um tempo sozinho com o Senhor em oração. Oração é como o ar para a vida! Enquanto santificação é a marca mais visível de um crente no mundo exterior entre as pessoas, oração é a marca mais característica de um crente em sua vida secreta. Veremos: como não orar e como devemos orar; motivos vitais para orarmos; e o mistério da relação entre a soberania de Deus e a oração: por que orar se Deus já sabe todas as coisas e determinou todas as coisas? A Palavra de Deus responde.

A vida de piedade na presença de Deus – Mateus 6.1

Pr. Ábner Eliel Araújo

08.04.2018

Por 11 vezes, neste capítulo 6 de Mateus, Deus é visto como o Pai Celestial. O Pai de Seu povo, o Pai que está próximo, e que se interessa ativamente por cada crente individual. Assim é o nosso Deus! De modo que a vida cristã, a verdadeira piedade, é representada aqui, pelo Salvador, como uma vida consciente e inteligente vivida na própria presença de Deus, até o final. 
Toda a nossa religião deve ser dirigida por essa máxima bíblica: Deus é o Deus que me vê. Se mantivermos essa verdade diante de nossa mente, a cada dia, e cada etapa da vida, isso causará uma revolução espiritual em nós e na igreja. Toda a hipocrisia, todo o orgulho, e toda dissimulação logo se evaporará de nós, quando encararmos esse fato: “Tu és Deus que me vê” (Gênesis 16.13). O Senhor Jesus, neste capítulo 6, passa a apresentar três exemplos da vida de piedade vivida neste mundo na presença de Deus, sob os olhos perscrutadores de nosso Pai Celestial.

O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo - Êxodo 12.1-28

Pr. Ábner Eliel Araújo

01.04.2018

É de suma importância estarmos claros a respeito da morte do Senhor Jesus, que está foi: sacrificial, substitutiva e voluntária. Não por pecados seus, não por acidente, não contra a sua vontade. Mas que Ele veio a este mundo para este propósito, o de dar a sua vida, voluntariamente, como o preço do resgate de todo o Seu povo, pagando no lugar deles. Talvez, uma das mais belas passagens do Antigo Testamento, onde Jesus Cristo e sua morte substitutiva é exibida, se encontra no capítulo 12 do livro de Êxodo. O sofrimento e a morte do Salvador são figurados no cordeiro pascal de Israel. Aqui, e de maneira gráfica, está a narrativa do cordeiro pascal que deveria ser escolhido, sacrificado e comido pelo povo. Nesta descrição, vemos o que significou para o Senhor pagar o preço de nossa salvação, naquela Cruz de dor e agonia. 

O amor extraordinário do cristão convertido - Mateus 5.43-48

Pr. Ábner Eliel Araújo

25.03.2018

Chegamos, em nossa série de considerações no sermão do Monte, ao clímax do ensino do Salvador sobre a justiça do salvo que deve exceder a dos religiosos não convertidos. Aqui está o resultado da obra do Espírito e do discipulado em uma vida, que não pode ser expresso, de fato, por alguém que não experimentou a conversão. A mera religiosidade chega aqui a seu limite.
“Eu porem vos digo: amai a vossos inimigos”. Que tipo de amor é esse que deve amar até um adversário? Seria esse amor afeição? Algo baseado em reciprocidade, atração, interesses partilhados? Como sentir afeição por aqueles que se esforçam para nos injuriar? Um inimigo não é somente alguém sem atração para nós, mas o próprio comportamento é repugnante. Que tipo de amor é esse, requerido de nós, para com inimigos?
A resposta está no final do vs. 44 e 45 “...para que sejais filhos do vosso Pai que está nos Céus. Porque faz com que seu sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos”. O Salvador não está dizendo que devemos uma afeição calorosa a nossos inimigos. Não é a emoção não é a afeição a base desse amor por nossos adversários! Esse amor tem por base e impulso a atitude e o exemplo de Deus. É uma determinação moral da vontade para seguir o exemplo de nosso Pai celestial, quando nosso adversário se torna nosso próximo.
Quem é então o meu próximo? O Salvador ensina que o próximo é qualquer um que entre em meu campo de proximidade ou eu o dele, mesmo um inimigo. Para com este, a Lei do Amor ao Próximo comanda, negativamente: a não retaliação, e vingança, e revanche quando está em minhas mãos o fazer; e positivamente comanda: que se este adversário entrar em meu campo de proximidade, e assim se tornar meu próximo, estando ele em situação de desvantagem, devo não somente não retaliar, como devo positivamente socorrer e livrar a vida, o nome, a reputação, etc de tal pessoa.

Lidando com o mal do próximo - Mateus 5.38

Pr. Ábner Eliel Araújo

18.03.2018

​É o princípio “se alguém te bater na face direita oferece-lhe também a outra” uma regra absoluta, e deve ser tomada de modo literal?

Pode esse princípio ser aplicado em todas as facetas dos relacionamentos humanos, e da sociedade, como ensinam alguns (como na política, no comércio, na questão da guerra, resistência civil, etc), ou é um princípio para o crente, e para seus relacionamentos pessoais com o próximo, um-a-um?

O Senhor Jesus em seu ensino aos discípulos “muda agora de marcha”, e deixa de tratar com o problema do mal que venhamos a fazer contra o próximo, isto é: “o mal em nós” (adulterar, assassinar, perjurar...), e passa a tratar com o desafio de lidar com “o mal nos outros.” Uma coisa é para o crente não injuriar o inocente, a Lei do amor ao próximo exige isso. Mas o que o amor exige do crente quando ele é o inocente injuriado? O que o amor ao próximo exige do crente quando outras pessoas, longe de serem inocentes, tentam maltratá-lo e injuriá-lo, e enganá-lo? O que o amor ao próximo exige nestes casos? Qual é a justiça que excede a dos fariseus nestes casos?

Palavras de integridade; a conversação do crente - Mateus 5.33-37

Pr. Ábner Eliel Araújo

11.03.2018

O Senhor Jesus ressalta nos vs. 33-37 de Mateus 5 que toda a palavra que nós emitimos está diante de Deus, e está sujeita ao julgamento divino. Nós vivemos, sem dúvida, em uma geração profana; manchada com blasfêmias pequenas e sutis, com insinceridade no falar e no escrever. Vivemos em um “meio cristão” que inclui o nome excelso do Senhor Deus em qualquer frase corriqueira, fútil, anedótica, e para muito além disso, o inclui também em piadas. Nosso hábito de pronunciar impensadamente o nome santo do Senhor (que representa o Seu caráter e Sua divindade) tem custado nosso senso de reverência por Ele. Por sua vez, nosso costume de em palavras prometer e, mas não cumprir, tem custado o nosso caráter. Cristo continua aqui ensinando a religião na alma, no coração. E ao corrigir os erros dos fariseus e escribas, Ele ressalta o espírito da Lei Moral, e aponta todo discípulo para aquilo que Deus busca em cada verdadeiro crente: “... eis que procuras a verdade no íntimo”.

Pureza no coração e nos relacionamentos. O Salvador ensina o 7º Mandamento - Mateus 5.27-32

Pr. Ábner Eliel Araújo

04.03.2018

O Senhor ensina que o 7º Mandamento pode vir a ser quebrantado no coração, “Porque do coração procedem os maus pensamentos, os adultérios...”. Como isso se dá? O que significa arrancar o olho e cortar a mão, no combate contra o pecado? Certamente o Senhor, por meio desta linguagem hiperbólica e figura tão dolorosa, ensina a santa violência que se deve oferecer a todo motivo e objeto que nos leve a tropeçar no caminho de nossa santificação. Verdadeira santificação começa com um senso da Santidade de Deus e de nossa pequenez e fragilidade, nos leva a desconfiar e examinar o coração, e então a um exercício vigoroso de mortificação do eu.

A lei de Deus em nossos corações - Mateus 5.20-26

Pr. Ábner Eliel Araújo

25.02.2018

Acaso o ensino do Senhor Jesus sobre a Lei está em desarmonia com o ensino de Moises sobre a Lei! O que quer dizer o: “eu porem vos digo...” de Jesus sobre a Lei?

De que maneira a maledicência, a fofoca, o desprezo, desonrar e abandonar pai e mãe na velhice, bem como a ira cruel, e o desprezo desumano podem ser a quebra do 6º Mandamento que diz Não Matarás? Temos nós, como crentes, quebrado o 6º Mandamento e matado? O Senhor Jesus ensina sobre o espírito da Lei, e sobre os pecados do coração. As palavras do Salvador, aqui em Mateus 5.20-26, devem nos conduzir a um sério exame do coração e do caráter, e nos levar de volta ao Trono de Graça em busca do amor perdoador de Deus, e o poder do Espírito para uma vida pura e agradável a Deus.

O crente e a lei moral- Mateus 5.17-19

Pr. Ábner Eliel Araújo

18.02.2018

Lei Moral, Lei Civil e Lei Cerimonial: qual a função das Leis do Antigo Testamento? Foi a Lei abolida com a vinda de Cristo? É a Lei para hoje? Como o crente se relaciona com a Lei? De que maneira o Senhor Jesus cumpriu a Lei e os profetas? São os 10 mandamentos para hoje, ou apenas 9, quem sabe apenas 2? De que maneira a Lei permanece uma regra de vida para o crente, após a conversão? Como o crente se relaciona com a Lei de Deus, e de que maneira ela é vivida, para honrar e agradar a Deus.

Luz, a propriedade essencial do crente - Mateus 5.14-16

Pr. Ábner Eliel Araújo

11.02.2018

O Salvador, que no princípio disse: “haja luz; e houve luz”, é quem agora toma a luz e a usa como uma símile, uma metáfora, para representar algo profundo e vital na vida e no caminhar de todo verdadeiro cristão convertido. Usando da luz como um recurso visual, o Mestre está aqui, em Mateus 5.14-16, descrevendo e comandando ao crente o seu dever no mundo. Somos luz? Essa luz repreende as trevas? É o nosso testemunho ainda eficaz? Veja aqui como o apóstolo Paulo toma, assim por dizer, as palavras do Salvador e prega seu sermão aos Efésios(Efésios 5) descrevendo como ser luz neste mundo. Como manter nossa luz sempre brilhando, e nosso testemunho sempre eficaz, até o final.

A qualidade vital de um crente - Mateus 5.13

Pr. Ábner Eliel Araújo

04.02.2018

Sal é uma das mais belas símiles usadas pelo Salvador para descrever a essência vital da vida cristã: piedade. “Mas se o sal perder o seu sabor, com que se há de salgar?”. O que significa o sal na vida de um crente? Como essa essência vital pode ser tragicamente reduzida, aos poucos; e, de que maneira a geração atual de cristãos evangélicos têm sido influenciada pelo mundanismo de nossos dias? Por quê a igreja evangélica atual não parece ter um testemunho efetivo em nossa sociedade? E como esse sal de fato influencia a sociedade? Veja aqui o poder, a vitalidade e o vigor que deveria se manifestar em uma vida realmente voltada para o Senhor; e como mantê-la.

Artigo recomendado: "Vos Sois o Sal da Terra" - Gresham Machen

Tentações: outros testes e provações da vida cristã - 1 Coríntios 10.13

Pr. Ábner Eliel Araújo

28.01.2018

São tentações que se levantam dentro de nós, como desejos lascivos, concupiscências, temperamentos carnais de todos os tipos; e são tentações que se lançam sobre nós. E todas elas têm o objetivo de nos afastar do Senhor, nos levar a pecar contra nosso Deus e nos roubar de sua comunhão e bênçãos, nos trazendo de volta ao mundo e seu jugo. Em casos de tentações como essas “que vem sobre nós” como diz o apóstolo Paulo, há uma promessa de Deus, de auxilio e graça juntamente com um “escape” para não pecarmos no meio da tentação. Veja aqui o auxílio do Senhor para seu povo em seu esforço de santificação.

Testes espirituais na vida de um crente - Tiago 1.2-3

Pr. Ábner Eliel Araújo

21.01.2018

Há provações e testes na vida de um crente que vem para refinar e edificar a vida cristã; para infundir força e construir caráter cristão em nós.

​Estes testes e provas são necessários diz o apóstolo Pedro (1 Pedro 1.5). Em um momento ali estamos tranquilos, a vida seguindo e tudo sob controle, de repente um período de testes chega; grandes testes... essenciais para preparar-nos para as bênçãos de Deus e para nos aprofundar. Veja nesta mensagem: quais são esses testes, como veem, em que medida e por quanto tempo, qual seu objetivo final, e como responder a eles.

Princípios e atitudes bíblicas para a criação de filhos - Efésios 6.1-4

Pr. Ábner Eliel Araújo

07.01.2018

Paternidade e maternidade são tremendas responsabilidades; especialmente em dias como os nossos quando a humanidade se afastou grandemente de seu Criador, e de seus padrões retos e sábios para a família e para a criação de filhos. Nós agradecemos a Deus por toda instrução contida nas Sagradas Escrituras para uma tarefa como esta. Há duas exortações fundamentais na Bíblia que governam a questão da disciplina dos filhos. De um lado há a conhecida exortação de Provérbios 13.24: “O que não faz uso da vara odeia o seu filho, mas o que o ama desde cedo o castiga”; de do outro lado temos Efésios 6.4 e outros textos similares: “E vós pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor”. Veja neste estudo, o segundo lado destas exortações, sobre os princípios e atitudes necessários para criar filhos na doutrina e admoestação do Senhor.

A disciplina e instrução dos filhos - Colossenses 3.21

Pr. Ábner Eliel Araújo

31.12.2017

Paternidade e maternidade são tremendas responsabilidades; especialmente em dias como os nossos quando a humanidade se afastou grandemente de seu Criador, e de seus padrões retos e sábios para a família e para a criação de filhos. Nós agradecemos a Deus por toda instrução contida nas Sagradas Escrituras para uma tarefa como esta. Há duas exortações fundamentais na Bíblia que governam a questão da disciplina dos filhos. De um lado há a conhecida exortação de Provérbios 13.24: “O que não faz uso da vara odeia o seu filho, mas o que o ama desde cedo o castiga”; de do outro lado temos Efésios 6.4 e outros textos similares: “E vós pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor”. Veja neste estudo, o primeiro lado destas exortações, sobre como criar filhos par a glória de Deus.

O nascimento do Salvador, e a experiência dos pastores de Belém - Lucas 2.8-20                                                  Natal 2017

Pr. Ábner Eliel Araújo

24.12.2017

A magnifica experiência dos pastores de Belém diante do anúncio do nascimento do Salvador. Sua resposta de fé e adoração são lições preciosas para nós. Veja nesta mensagem de Natal, detalhes tocantes e edificantes da experiência dos pastores de Belém ante a chegada do Messias; e o registro precioso sobre o Filho de Deus que se fez homem, para que os filhos dos homens pudessem serem feitos filhos e filhas de Deus.  

Não separe o homem aquilo que Deus uniu – Marcos 10.2

Pr. Ábner Eliel Araújo

17.12.2017

Breve consideração sobre o divórcio em Marcos 10, e suas possíveis causas. A vontade de Deus desde o início da criação é que nunca houvesse divórcio. Nossa sociedade tem banalizado o divórcio e promovido o divórcio fácil; e o resultado catastrófico já é aparente em todas as esferas sociais. Veja aqui conselhos bíblicos sobre como cuidar das afeições no casamento, e evitar o endurecimento do coração que é a verdadeira causa de muitos conflitos e dissabores no casamento.

Elementos essenciais do casamento - Colossenses 3.18-19

Pr. Ábner Eliel Araújo

10.12.2017

Há elementos essenciais no casamento que estão ligados aos papeis estabelecidos por Deus para a esposa e o marido. Acaso conhecemos nossas responsabilidades maritais estabelecidas por Deus; e temos em dependência dEle, nos esforçados para vivê-las de um modo sincero e real? A benção do Senhor é condicional a nossa submissão a vontade dele; e esta benção, para um casamento feliz e frutífero, é algo que devemos almejar e ansiar grandemente.

A origem e o caráter do casamento - Gênesis 2.24

Pr. Ábner Eliel Araújo

03.12.2017

Casamento começa com o despertar de um senso de necessidade dentro de nós por uma companhia; por um amigo, uma amiga para a vida juntos. Foi assim que Deus preparou Adão para receber Eva, antes mesmo de Deus criá-la. Na Bíblia, casamento é para toda a vida. É também uma aliança solene, que deve ser mantida pelo esforço do casal em dependência do Senhor. Veja aqui: as dívidas a serem pagas no casamento; e o caráter do amor-amizade que deve ser a base da união entre um homem e uma mulher para toda a vida.

Disciplina na igreja - o porquê e o como - 1 Pedro 2

Pr. Ábner Eliel Araújo

26.11.2017

Quando pensamos sobre disciplina na igreja temos em mente o cuidado da Igreja. Disciplina envolve os processos e as ações por meio dos quais a membresia é educada e santificada para representar o Salvador neste mundo; e é preparada para o Céu. Disciplina na igreja tem em vista o zelo pelo nome e honra de Cristo em Sua Igreja e no mundo; envolve o desenvolvimento do caráter de um verdadeiro discípulo, o discipulado do salvo. Ela zela pela santidade e operosidade da igreja, censurando e corrigindo comportamentos dissonantes à natureza da profissão de fé de um crente, e dissonantes à natureza e a vida do povo de Deus juntos na igreja local. Disciplina na igreja não é ideia humana, é um ensino da Palavra de Deus e foi instituída por Cristo. E disciplina na igreja envolve duas formas: A disciplina formativa (preventiva), e a disciplina corretiva.  

O governo na igreja - Mateus 16.19

Pr. Ábner Eliel Araújo

19.11.2017

Um dos grandes problemas nas igrejas locais contemporâneas é o desconhecimento sobre a natureza e doutrina da Igreja. Poucos parecem perceber que há nas páginas do Novo Testamento um modelo de igreja a ser copiado e implementado em todas as épocas até o retorno do Salvador. A Bíblia tem muito a dizer sobre o governo da igreja local. Quando falamos sobre governo em uma igreja, temos em vista a ordem e a condução do trabalho e obra do Senhor. Veja aqui os princípios bíblicos básicos do governo da igreja; o dever e as responsabilidades dos líderes, e a participação da membresia.

A edificação mútua na igreja - 1 Tessalonicenses 5.11-12

Pr. Ábner Eliel Araújo

19.11.2017

Edificação mútua da Igreja é responsabilidades de todo membro. Tratam-se de deveres que só podem ser realizados por pessoas que estão ligadas umas às outras em um contexto de membresia. Estas responsabilidades e deveres de cada membro são resumidas nas palavras de Paulo aos membros da igreja de Tessalônica: “... exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros como também o fazeis... reconheçais os que trabalham entre vós e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam... tende paz entre vós... admoesteis os desordeiros, consoleis os de pouco ânimo, sustenteis os fracos... sejais pacientes para com todos...”

A Ceia da sinceridade - 1 Coríntios 11.23

Pr. Ábner Eliel Araújo

01.10.2017

Os significados bíblicos e propósitos da instituição da Ceia do Senhor. O requerimento de comunhão e permanência com Cristo e Seu povo; e o que devemos pensar e considerar ao participar dessa ordenança instituída pelo próprio Salvador.

Desenvolvimento em santificação, e o fortalecimento da fé - 2 Pedro 1.5

Pr. Ábner Eliel Araújo

20.08.2017

É necessário diligencia para a santificação e o crescimento na fé, diz a Palavra de Deus. O que é santificação e como ela opera? Acaso podemos resumir todo o esforço da vida cristã e santificação a “busca por alegria e satisfação no Senhor”? O que diz a Bíblia nesta área, e o que é colocado diante de nós pela Palavra inspirada? Veja aqui, em 2 Pedro 1 a vontade de e o meio de Deus para nossa santificação e crescimento.

O crente e o tempo - Colossenses 4.5-6

Pr. Ábner Eliel Araújo

09.07.2017

Esta mensagem é sobre o testemunho do crente no mundo, por atos e por palavras. E também, o crente e o tempo. Como remir o tempo e aplicá-lo para as coisas mais importantes da vida. A necessidade e urgência de usarmos o tempo curto e precioso que temos a nossa disposição para glorificar e servir nosso Salvador, e crescermos na fé. Você aprenderá aqui sobre os ladrões do tempo, a compra do tempo, e a aplicação do tempo.

Para sua alegria - 1 Tessalonicenses 5.16-18

Pr. Ábner Eliel Araújo

02.07.2017

“Regozijai-vos sempre. Em tudo dai graças, orai sem cessar, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. Como essas “três chaves” devem ser usadas ao longo de toda a vida cristã, e como elas afetam nossas vidas, nos permitindo viver uma vida espiritual vibrante.

Uma igreja ideal - uma igreja bíblica - Efésios 2.20-22                  A inauguração da Igreja Batista Reformada da Palavra

Pr. Ábner Eliel Araújo

25.06.2017

Que Igreja desejamos? Certamente uma bíblica, que seja moldada naquele modelo Ideal de Igreja encontrado nas páginas do Novo Testamento. Há na Bíblia um modelo padrão e ideal, inspirado pelo Espírito, para a formação de uma igreja local? Cremos que sim! Veja aqui 10 diretrizes bíblicas ideais para a formação de igrejas estabelecidas em princípios realmente bíblicos.

A vida da membresia da igreja - Romanos 12.10

Pr. Ábner Eliel Araújo

18.06.2017

Uma igreja bíblica não é apenas um pastor e uma adoração bíblica, ela é também composta por membros bíblicos. Veja aqui o procedimento esperado de membros bíblicos em uma congregação bíblica. Uma mensagem espiritual bastante prática para a vida de todo crente dentro da comunidade do povo de Deus.

A cruz que Ele suportou - Marcos 15.21

Pr. Ábner Eliel Araújo

16.04.2017

As seis horas de agonia do Salvador. Sua humilhação, sofrimento e crucificação. A maior de todas as transações na história do universo, Jesus Cristo crucificado no lugar de pecadores necessitados. Veja aqui em detalhes gráficos o momento quando a obra de nossa salvação foi consumada, e o imenso amor de Jesus em que Ele foi até o fim, pelo seu povo.

A realidade e o poder da fé - 1 João 2.15

Pr. Ábner Eliel Araújo

26.02.2017

Aprendemos muito sobre a fé quando considerarmos aqueles textos a Palavra de Deus que unem fé com algo mais. A fé ativa e vigorosa nunca está sozinha  não opera sozinha. E isso acontece porque a fé não é um fim em si mesmo, mas deve estar ligada a certas virtudes e ações para ser real. Como o motor de um potente carro, se não estiver conectado as demais partes do carro (eixo, cambio, rodas) não terá grande utilidade, assim é a fé sem essas obras ou virtudes. Veja aqui a fé ligada ao: sacrifício no serviço do Senhor; ao amor, a perseverança; a poder pela oração e a santificação. Veja também como a fé vence o mundo (mundanismo).

Marcas de uma pessoa espiritual no Salmo 26 - Salmo 26

Pr. Ábner Eliel Araújo

10.02.2013

Em tempos de grande confusão no meio evangélico, onde sinais de igrejas estão por toda parte e os sinais da Igreja pouco se veem no mundo, é de suma importância discernir verdadeira espiritualidade de mera profissão de fé religiosa. São muitos os que se passam por crentes em Jesus, mas que de cristão só possuem a afirmação de serem. No Salmo 26, o salmista inspirado pelo Espírito, delineia em sua própria experiência características básicas que se espera ver naqueles que professam o nome de Cristo.

A doutrina do Espírito Santo V - João 16.8

Pr. Ábner Eliel Araújo

12.01.2013

São várias as graças do Espírito Santo derramadas sobre homens e mulheres em um mundo manchado e marcado pelo pecado.
·    Restrição da depravação da natureza humana consequente do pecado.
·    Preservação e moldar da natureza moral.
·  Influência que conduz ao despertamento da condição de pecador e das verdades da Bíblia, como: a percepção da existência e realidade de Deus, do pecado e do julgamento de Deus sobre o pecado.
·    Convicção pessoal de pecado e pecaminosidade.
·    Arrependimento que conduz a salvação.
·    Fé para a salvação.

O arrependimento de um crente - 2 Coríntios 7.9-11

Pr. Ábner Eliel Araújo

05.01.2013

Como é o arrependimento de um crente? Fomos salvos, mas ao sermos enredados por um pecado persistente (seja resultado de negligência em mortificar a carne, ou por uma tentação do maligno),que sinais provam que houve verdadeiro arrependimento e transformação? O apóstolo do Senhor fala sobre a “tristeza segundo (para com ou segundo) Deus” que gera arrependimento e transformação de conduta, e também os sinais característicos desse arrependimento genuíno.
Como salvos convertidos, filhos e filhas de Deus, temos verdadeiramente nos arrependidos de nossos pecados e falhas diante do Senhor de um modo aceitável aos olhos de Deus? E é esse arrependimento acompanhado por transformação e vitória sobre o pecado?  Há muito “arrependimento” entre crentes e igrejas que não passa de mero remorso (isso é o que Paulo chama de a tristeza do mundo), pois não resulta em transformação de mente, conduta, e caráter.  Um capítulo tremendamente positivo, sobre a vontade de Deus quanto o arrependimento na vida do crente individual e da igreja que busca honrá-lo e glorificá-lo em sua vida.

A guerra santa: 5 frentes de combate - Efésios 6.10

Pr. Ábner Eliel Araújo

29.12.2012

“A guerra santa” ou o estado de guerra no qual cada crente e a Igreja do Senhor Jesus se encontra. O combate cristão e as cinco frentes de batalha dessa guerra espiritual descritas aqui nessa carta de Paulo aos Efésios no capítulo 6.  Essa é uma guerra em cinco frentes de combate: 1) pela vida da alma, 2) pela santificação, 3) uma batalha pelo Evangelho, 4) pela segurança e certeza de salvação pessoal, 5) pela defesa da verdade. Será que estamos atentos e apercebidos, engajados e em combate, ou simplesmente dormindo em nossos uniformes?

O dom de Deus à humanidade - Isaías 9.6                                                                                                                              Natal 2012

Pr. Ábner Eliel Araújo

22.12.2012

A profecia de Isaías 9.6 predisse que na experiência dos filhos de Deus com Cristo Jesus eles O conheceriam por esses nomes, por que Ele seria tudo isso para eles: Maravilhoso (em Sua obra salvífica por nós), Conselheiro (guia), Deus forte (o herói, representante de Seu povo que venceu o maligno, e os livrou de seus pecados), Pai da Eternidade (por causa de Sua afeição e cuidado paternos para com eles), príncipe da Paz (pela paz que criou, cessando nossa guerra contra Deus, e abrindo a entrada na Paz de Deus).“...Um filho se nos deu”. Nasceu em Belém como um homem. O Filho de Deus se tornou homem, para que os filhos dos homens pudessem se tornar filhos e filhas de Deus. 

O final dos tempos; ou, a grande esperança do crente - 1 João 1.2-3

Pr. Ábner Eliel Araújo

15.12.2012

Um assunto que aquece o coração e a esperança de todo crente. Construindo sobre o estudo de domingo passado a respeito do “Retorno do Senhor Jesus”, consideraremos agora o ensino da Escritura a respeito  de “O final dos Tempos” , Uma consideração devocional sobre os sinais bíblicos que nos mostram que esse mundo presente está realmente saindo de cena, passando, chegando a seu fim. Veremos:
•    O que significa “O mundo passa” em 1 João 2
•    Quais os sinais Bíblicos que esse mundo já chega a seu final, sinais: Biológicos, políticos, morais e redentivos.
•    O Anticristo e o que a Bíblia ensina sobre ele, e “Aquele que o ainda retêm”
•    O que o retorno do Senhor (uma vez por todas) significara para nós os salvos... e a transformação de nossos corpos.

O retorno do Senhor Jesus - 2 Pedro 3.9-14

Pr. Ábner Eliel Araújo

08.12.2012

A Bíblia ensina de maneira clara e direta que o Senhor Jesus retornará uma única e última vez mais a esse mundo.  Sua volta será pessoal, visível, repentina, gloriosa e triunfante. O dispensacionalismo (doutrina nova e inventada depois de mais de 1900 de história da Igreja de Cristo, formulada somente em meados do século XIX por John Nelson Darby, e modificado e propagado por C. S. Scoffield), tem invadido igrejas em toda parte e transformado o ensino sobre a vinda de Cristo em uma novela sensacionalista. Um dos muitos resultados danosos do dispensacionalismo foi levar crentes em Cristo a mover seus olhos do horizonte Bíblico do retorno de seu Senhor, para o aparecimento de todos os tipos de sinais e catástrofes futuras segundo os esquemas dispensacionalistas. Apresentamos aqui de modo sucinto o ensino bíblico sobre o maior de todos os eventos: o retorno do glorioso Deus e Salvador Jesus. Veremos também como essa gloriosa verdade deve moldar a vida de cada crente enquanto aguarda o retorno de seu Senhor.

A doutrina do Espírito Santo IV - Efésios 5.18

Pr. Ábner Eliel Araújo

01.12.2012

Construindo sobre o último estudo a respeito do “Batismo do Espirito Santo”, nesse estudo de hoje continuaremos o tema, respondendo a pergunta: Ainda embora “não haja um segundo Batismo do Espírito”, será que podemos sentir e experimentar a obra do Espírito em nós para além da conversão ... em ocasiões posteriores a conversão? E a resposta da Palavra é que isso acontece pelo “encher do Espírito” ou “unção do Espirito”. Esses são termos Bíblicos e trazem consigo uma doutrina clara e precisa. Veremos:
•    O que é o Encher do Espirito segundo a Palavra, e o que não é
•    Coisas que nos impedem de estar cheios do Espírito 
•    Como ser cheio do Espírito
•    A Necessidade e o comando Bíblico de ser cheio do Espirito. 

A doutrina do Espírito Santo III - 1 Corintios 12.13

Pr. Ábner Eliel Araújo

24.11.2012

Definindo a ação do Espírito Santo na vida do crente e na igreja: 
•    A postura do Espírito em Sua obra é uma de “discrição”, “anonimidade”, “modéstia” do Espírito ao promover a Cristo e não a Si mesmo na vida do crente e na Igreja.
•   A obra do Espírito Santo em nossas vidas, (as ações do Espírito que podemos ser estar conscientes): Dois princípios bíblicos de grande importância. 1º : Sempre andamos pela fé e não por vista quanto ao agir do Espirito; 2º: no Seu lidar conosco o Espírito não revela nenhuma verdade ou doutrina nova nunca antes revelada na Escritura.
•   O que é a comunhão do Espírito e como diferenciá-la da mera emoção ou imaginação.
•   As operações subjetivas do Espírito Santo em nossas vidas, como discerni-las e como ser guiado pelo Espírito: 9 aspectos
•   Pentecostalismo, neopentecostalismo e carismatismo: em que erram, e porque erram em sua atitude para com o Espírito Santo.

A doutrina do Espírito Santo II - Gálatas 5.25

Pr. Ábner Eliel Araújo

17.11.2012

•    A comunhão do Espirito: seu significado, e como ter comunhão com Ele.
•   As operações subjetivas do Espírito Santo em nossas vidas segundo a Bíblia. Como discerni-las e como ser guiado pelo Espírito.
•   O grande erro de buscar experiências sensacionais e sensoriais do Espírito – uma porta para o misticismo. 

A doutrina do Espírito Santo I - João 16.13-15

Pr. Ábner Eliel Araújo

03.11.2012

Iniciaremos nesse domingo uma breve série de estudos sobre a Pessoa e obra do Espírito Santo. Nessa mensagem consideraremos aspectos gerais de Sua Pessoa e obra como um estudo introdutório à doutrina do Espírito Santo.
•    Os nomes ou designações do Espírito
•    O advento do Espírito ao mundo
•    A personalidade do Espírito
•    A divindade do Espírito
•    Os emblemas do Espírito
•    As obras do Espírito.

Reacendendo a diligência - Hebreus 6.10-11

Pr. Ábner Eliel Araújo

27.10.2012

Sem diligência (zelo, dedicação...) pouco ou nada será alcançado na vida de um crente ou uma igreja. O que é a diligência cristã? Por que essa virtude e dever tem sido varrida de muitas igrejas? Por que não se ouve mais dos púlpitos? Quais os objetivos; os empecilhos, e qual a intenção da diligência? Por que ela é fundamental para o crescimento cristão? Como alcançá-la e como mantê-la viva é o tópico de nosso estudo nesse capítulo 6 de Hebreus. Mais que mero conhecimento intelectual sobre outro tema bíblico, diligência é um requerimento do Senhor para todo crente e igreja. Sem ela somos ineficazes, e perderemos grandiosas bênçãos espirituais.

5 Princípios da fé cristã - Judas 3

Pr. Ábner Eliel Araújo

20.10.2012

1. A Escritura somente é a Palavra de Deus (Sola Scriptura)
2. Salvação pela graça somente (Sola Gratia)
3. Salvação em Cristo Jesus somente (Solo Cristo)
4. Salvação através da fé somente (Sola Fide)
5. À Deus somente seja a glória (Soli Deo Gloria)
    E as implicações dessas verdades na vida diária do crente.

A doutrina da Escritura III - 1 Coríntios 2.13

Pr. Ábner Eliel Araújo

13.10.2012

A doutrina da Escritura III - 1 Coríntios 2.13

Pr. Ábner Eliel Araújo

06.10.2012

A doutrina da Escritura I - Hebreus 1.1-2

Pr. Ábner Eliel Araújo

29.09.2012

A ressurreição do Senhor Jesus - Lucas 24.9

Pr. Ábner Eliel Araújo

08.09.2012

A crucificação do Senhor Jesus - Mateus 27.45

Pr. Ábner Eliel Araújo

01.09.2012

Graça, a pedagogia de Deus na vida do crente - Tito 2.11-13

Pr. Ábner Eliel Araújo

25.08.2012

A expiação ou morte substitutiva de Cristo - Romanos 5

Pr. Ábner Eliel Araújo

18.08.2012

A humanidade e divindade do Senhor Jesus Cristo - Hebreus 2.14

Pr. Ábner Eliel Araújo

11.08.2012

Cultivando e mantendo a sinceridade - Efésios 6.14

Pr. Ábner Eliel Araújo

04.08.2012

Promessas e profecias a respeito de Jesus Cristo - 2 Corintios 1.20

Pr. Ábner Eliel Araújo

21.07.2012

Conhecendo e guardando o coração - Mateus 26.20-25

Pr. Ábner Eliel Araújo

14.07.2012

Santidade, amor à Palavra e testemunho - Salmo 1

Pr. Ábner Eliel Araújo

07.07.2012

Os eternos decretos de Deus - Efésios 1

Pr. Ábner Eliel Araújo

30.06.2012

A Tri-unidade de Deus - 1 Joao 5.7

Pr. Ábner Eliel Araújo

23.06.2012

As consequências da queda no pecado - Romanos 5.12

Pr. Ábner Eliel Araújo

09.06.2012

A queda do homem no pecado - Gênesis 3.1

Pr. Ábner Eliel Araújo

09.06.2012

O Ser de Deus III - Os atributos refletidos de Deus II - Salmo 145.8

Pr. Ábner Eliel Araújo

20.05.2012

O Ser de Deus II - Os atributos refletidos de Deus I - Romanos 11.33-36

Pr. Ábner Eliel Araújo

13.05.2012

O Ser de Deus I - Os atributos exclusivos de Deus - Isaías 46.9

Pr. Ábner Eliel Araújo

06.05.2012

Os estágios da conversão - Romanos 8.28-30

Pr. Ábner Eliel Araújo

29.04.2012

A soberania de Deus na salvação - Romanos 8.2

Pr. Ábner Eliel Araújo

15.04.2012

MAPA DO SITE
LOCALIZAÇÃO

Rua Bom Pastor, 2167 - Ipiranga

São Paulo / SP - CEP 04203-052

 

contato@igrejabatistareformada.org.br

+55 (11) 96076-2001

© 2018 Igreja Batista Reformada da Palavra.